Caso Eliza Samudio completa dois anos sem previsão de julgamento

Goleiro Bruno e mais 2 réus estão presos acusados de homicídio. Com 8.500 folhas, processo tramita na 4ª Câmara Criminal do TJMG.

O processo que vai levar a júri popular o goleiro Bruno Fernandes e mais sete réus acumula 44 volumes e um amontoado de páginas. Já são mais de 8.500 folhas guardadas na 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), e o documento tende a crescer até a conclusão do caso, que completa dois anos neste fim de semana. Segundo a Justiça Mineira, não há data para o júri sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, ex-namorada do jogador. Na fase atual, recursos e pedidos relacionados ao processo atrasam a tramitação.

Bruno e outras sete pessoas são réus no processo que apura o desaparecimento e morte de Eliza. Ela teve um relacionamento com o atleta e dizia que o filho dela era do goleiro. Para a Polícia Civil, Eliza foi morta em junho de 2010 a mando de Bruno. O corpo dela não foi encontrado.

A falta de previsão para o julgamento foi uma das preocupações apontadas por criminalistas ouvidos pelo G1, já que parte dos réus está presa. Os especialistas comentam aspectos do processo. “A Constituição garante o direito de ser julgado em prazo razoável. Mas o que é um prazo razoável? A jurisprudência tem sido bastante tolerante a respeito disso. Dois, três anos, é relativamente frequente. Constitucionalmente, não acho correto, mas a jurisprudência brasileira tem admitido”, disse o jurista e criminalista Luiz Flávio Gomes, que já presidiu mais de 300 júris.

Bruno e mais dois réus seguem presos em Minas. Acusado de homicídio, o goleiro foi detido em julho de 2010, quando vivia um dos melhores momentos da carreira jogando pelo Flamengo. O amigo Luiz Henrique Romão, de apelido Macarrão, e o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, conhecido, segundo a polícia, como Bola, também aguardam o processo atrás das grades. “Nenhum juiz tem coragem de soltar porque a pressão midiática e da sociedade é muito grande”, disse Gomes referindo-se ao caso que ganhou grande repercussão. O quarto acusado diretamente por homicídio é Sérgio Rosa Sales, que responde em liberdade.

Para o jurista, os recursos pendentes para os tribunais de Brasília, embora não impeçam a marcação do júri, acabam atrasando o andamento do processo. Atualmente, cinco recursos da defesa dos acusados e um do Ministério Público Estadual (MPE) aguardam o fim da tramitação do processo em Minas para serem encaminhados para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF). Os advogados pedem a nulidade do processo; já a procuradoria quer aumentar o número de crimes atribuídos.

De acordo com a assessoria do TJMG, novos pedidos não param de chegar, tanto dos advogados como de agentes externos ao processo. O mais recente deles é um requerimento para entrevistar o goleiro na cadeia feito por uma revista, ainda sem decisão. “A cada vez que um pedido chega, seja para separar o processo (desmembramento), seja para realização de entrevista ou filmagem, o desembargador relator tem de ler a petição, analisá-la, mandar para a Procuradoria-Geral da República, aguardar o retorno dos autos e decidir”, explicou a assessoria.

A situação ideal seria desmembrar o julgamento, desde que a defesa desistisse dos recursos em Brasília”.

Jurista e criminalista Luiz Flávio Gomes

Uma possibilidade de acelerar o andamento é a Justiça e os advogados chegarem a um acordo, segundo Gomes. “Se a juíza admitisse o desmembramento, os advogados aceitariam fazer o júri. A situação ideal seria desmembrar o julgamento, desde que a defesa desistisse dos recursos em Brasília”, disse. Caso o desmembramento ocorra, os oito réus seriam julgados separadamente.

O jurista diz que existe o risco de a comarca de origem marcar uma data e ser “desautorizada” por uma decisão paralela que possa vir a suspender o julgamento. “A juíza está esperando os tribunais [STJ e STF] darem um sinal verde”, avalia.

Para a polícia, Eliza foi morta em Minas Gerais no dia 9 de junho, depois de ter sido sequestrada com o filho no Rio de Janeiro. Segundo o inquérito, funcionários e amigos de Bruno, a ex-mulher e outra ex-namorada estiveram contato com a modelo e com o bebê. O corpo não foi encontrado.

Ouvidos pelo G1, os advogados negam a autoria dos crimes imputados pela polícia, denunciados pelo Ministério Público Estadual e pronunciados pela juíza Marixa Fabiane Rodrigues Lopes, presidente do I Tribunal do Júri de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A decisão de levar a júri popular foi confirmada em segunda instância em agosto do ano passado. Apesar de apelações, a decisão está mantida integralmente.

Ao todo, oito pessoas respondem por crimes relacionados ao desaparecimento e morte de Eliza. A investigação do desaparecimento da modelo também resultou na apreensão de um menor, primo do goleiro. Segundo inquérito, ele viajou do Rio de Janeiro para Minas acompanhando Eliza. A modelo tentava o reconhecimento da paternidade de seu filho pelo goleiro. A criança hoje tem dois anos e vive com avó materna.

O Ministério Público ainda insiste para que todos os réus respondam diretamente por homicídio. No fim de março, a 4ª Câmara Criminal rejeitou argumento de que havia omissões e obscuridades na decisão de não pronunciar as ex-companheiras do jogador Dayanne Rodrigues Souza e Fernanda Gomes de Castro, além de Elenilson Vítor da Silva e Wemerson Marques de Souza, o Coxinha, pelo homicídio de Eliza e ocultação de cadáver. O recurso, chamado embargos declaratórios, também questionava o fato destes réus terem sido absolvidos em relação ao crime de corrupção de menores. Outro ponto levantado era a retirada da qualificadora do motivo torpe quanto ao ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, que, de acordo com a polícia, é o executor do assassinato. Agora, a intenção é convencer os ministros do STJ.

No momento atual, segundo Gomes, não há chances de uma reviravolta no caso. “Se o TJ mandou, eles vão a júri. O que os recursos pretendem é modificar quais crimes vão a julgamento, delimitar a quantidade de crime que o promotor pode pedir de condenação diante dos jurados”, disse.

O lado positivo [dos recursos] é dar garantia à pessoa julgada de que foram possibilitadas todas as formas de ela questionar o processo”

juiz Carlos Henrique Perpétuo Braga

Embora o uso indiscriminado de recursos acarrete em atrasos, a importância deles foi destacada pelo juiz Carlos Henrique Perpétuo Braga, titular do I Tribunal do Júri de Belo Horizonte. “O lado positivo é dar garantia à pessoa julgada de que foram possibilitadas todas as formas de ela questionar o processo. O lado negativo é que nem sempre os recursos são usados para questionar pontos relevantes, às vezes são usados para atrasar, o que abre ensejo à impunidade e à prescrição dos crimes”, disse.

Manter os acusados presos sem que tenha havido julgamento é um erro na opinião do advogado criminalista e professor de direito penal Leonardo Isaac Yarochewsky. Para ele, o princípio da presunção da inocência, segundo o qual “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória” não está sendo considerado pela Justiça. Ele explica que, com base no Código de Processo Penal, a prisão preventiva de Bruno não poderia ser mantida porque a fase de recolhimento de provas testemunhais e documentais já foi encerrada. Ainda segundo o criminalista, o jogador tinha um emprego e não oferecia risco de fugir quando foi acusado e preso pelo desaparecimento de Eliza.

“É importante salientar que em nosso sistema processual o estado de liberdade é a regra e a prisão provisória a exceção. As pessoas se revoltam tanto quando uma pessoa fica solta por muito tempo e não é julgada. Mas muito mais revoltante é estar presa sem ter julgamento. E se houver absolvição? É uma antecipação de pena e isso é um absurdo”, disse.

Segundo Yarochewsky, em caso de homicídio, a lei prevê que o prazo para a conclusão do processo com réu preso é de 90 dias após o oferecimento da denúncia do Ministério Público, mas que, dependendo da complexidade do crime, o prazo acaba sendo prorrogado pelos tribunais. “A prisão já extrapolou qualquer tempo no meu entendimento. Nada justifica uma prisão provisória por quase dois anos. Se o Judiciário não conseguiu julgar neste tempo, que se solte o réu”.

Prisão preventiva

Em 5 de agosto de 2010, a Justiça mineira decretou a prisão preventiva “por conveniência da instrução criminal e para a garantia da ordem pública”. A instrução criminal é uma das fases do procedimento penal na qual se produzem as provas de um processo. Na interpretação do criminalista, a justificativa de “ordem pública” é de difícil comprovação e tem caráter subjetivo, mas há o entendimento no direito de que a gravidade do crime e a repercussão não podem fundamentar a prisão preventiva.

A juíza presidente do I Tribunal do Júri de Contagem, Marixa Fabiane Rodrigues Lopes, e o promotor que ofereceu a denúncia contra os réus, Gustavo Fantini, não comentam sobre o caso. O relator do processo, desembargador Hebert Carneiro, preferiu não dar entrevista sobre o assunto, segundo a assessoria de imprensa do TJMG.

Atualmente, um pedido de liberdade para o goleiro Bruno Fernandes feito pelo advogado Rui Pimenta aguarda análise do Supremo Tribunal Federal (STF). Enquanto houver negativa do pedido, ele segue preso e não pode usufruir da liberdade condicional referente ao processo de cárcere privado e lesão corporal de Eliza, pelo qual foi condenado pela Justiça do Rio de Janeiro a quatro anos e seis meses de prisão.

Leave a Comment

Your email address will not be published.

Política

Júlio Lossio Filho divulga nas redes sociais que o pai foi diagnosticado com tumor

post-image

Na noite desta quarta-feira (28) o advogado Julio Lossio Filho  anunciou nas redes sociais, que o seu pai, ex-prefeito de Petrolina, Julio Lossio, foi diagnosticado com um tumor, no retroperitônio, área próxima aos rins.

Os filhos estão com Julio Lossio que se encontra internado em São Paulo. Julio Lossio Filho informou que o pai está bem.

Da Redação da Rede GN

Read More
Política Relevantes

Tarcísio é o favorito dos apoiadores de Bolsonaro para disputar a Presidência

post-image

A maioria dos manifestantes que foram neste domingo à Avenida Paulista expressar apoio a Jair Bolsonaro defende que, caso o ex-presidente não esteja apto a disputar as eleições de 2026, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), deve ser o nome do bolsonarismo na disputa presidencial. 

Segundo pesquisa do Monitor do Debate Político no Meio Digital, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, 61% dos bolsonaristas que estiveram na Paulista apoiam que o ex-ministro tente trocar o Palácio dos Bandeirantes pelo Planalto. Tarcísio acompanhou Bolsonaro no trio elétrico onde o ex-presidente discursou. Bolsonaro está inelegível por força de duas decisões do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ambas por abuso de poder político. 

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro foi citada por 19% dos apoiadores do ex-presidente como candidata ideal à Presidência em 2026. Michelle chorou ao discursar neste domingo e reclamou…

Read More
Política Relevantes

Sem citar STF, Jair Bolsonaro fala em pacificação durante ato em São Paulo

post-image

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que busca “pacificação” e passar uma “borracha no passado” durante o ato na Avenida Paulista, região central de São Paulo, neste domingo (25).

“O que eu busco é a pacificação, é passar uma borracha no passado. É buscar uma maneira de continuarmos em paz. Não continuarmos sobressaltados”, disse.

Sem citar o Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Alexandre de Moraes ou a Polícia Federal, o ex-presidente também lamentou o que classificou como “abusos por parte de alguns”.

Bolsonaro é investigado em um inquérito que apura suposto plano golpista para mantê-lo à frente do Palácio do Planalto após a derrota nas eleições de 2022 e em outros casos, como possível desvio de joias recebidas por seu governo.

“Saí do Brasil e essa perseguição não terminou. É…

Read More
Política Relevantes

Em missão na Espanha, Jerônimo busca novos investimentos em tecnologia, telecomunicações e energia renovável

post-image

Na noite deste sábado (24), o governador Jerônimo Rodrigues embarca para a Espanha, em mais uma missão internacional. No país europeu, o governador terá uma sequência de agendas, com visitas e reuniões, para conhecer projetos de diferentes áreas e tratar com lideranças empresariais sobre a vinda de novos investimentos e desenvolvimento de tecnologias em solo baiano.

Em Barcelona, onde inicia a missão, Jerônimo visita o Hospital Clínico da cidade. O hospital universitário é uma instituição de referência internacional, especializado no desenvolvimento de linhas terapêuticas e tratamentos inovadores de combate ao câncer. Além do governador, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico (SDE), Ângelo Almeida, e o superintendente de Atração e Desenvolvimento de Negócios da SDE, Paulo Guimarães, participam desta e de outras agendas.

A delegação baiana também marcará presença no Mobile World Congress (MWC), um dos eventos mais…

Read More
Política

Pré-candidato a prefeito de Juazeiro, Tom Zé manteve encontros importantes esta semana, em Brasília 

post-image

O advogado e pré-candidato a prefeito de Juazeiro, Tom Zé (PT), visitou Brasília nos últimos dias, oportunidade em que manteve contatos com ministros, senadores, deputados e outras lideranças na capital federal.

“Esta semana fiquei em Brasília e tive boas conversas sobre a região, especialmente sobre Juazeiro. Mantive contatos promissores e uma agenda muito interessante buscando investimentos para a região e pavimentando relações que serão muito importantes se tivermos a oportunidade de chegar à prefeitura do município”, disse Tom Zé, que tem seu nome ventilado com pré-candidato a prefeito pelo PT.

Tom Zé visitou o Ministro Rui Costa, na Casa Civil; Waldez Góes, no Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional, manteve encontros com os senadores Otto Alencar e Ângelo Coronel, dentre outros parlamentares e órgãos da administração federal.

Redação redeGN

Política

Em 65 cidades de PE, mais da metade da população vive sem esgoto adequado, diz Censo do IBGE

post-image

Em Pernambuco, 65 cidades têm mais da metade da população vivendo em lares sem descarte adequado de esgoto. É o que mostram novos dados do Censo 2022 divulgados nesta sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em todo o estado, mais de 3,1 milhões de pessoas vivem sem saneamento básico, o que equivale a cerca de um terço da população.

Os dados mostram que, em 2022, o Brasil tinha 49 milhões de pessoas vivendo em lares sem descarte adequado de esgoto. Esse número equivale a 24% da população. Esse percentual sobe para 68,6%, entre pretos e pardos — que compõem pouco mais da metade da população brasileira.

É considerado descarte adequado o esgoto que vai para as redes públicas de coleta (geral ou pluvial) ou para fossas sépticas ou com filtro, ainda que depois…

Read More
Política

Amorim diz que é um ‘absurdo’ Israel considerar Lula persona non grata

post-image

O assessor para assuntos internacionais do Palácio do Planalto, Celso Amorim, afirmou considerar “um absurdo” a decisão do governo de Israel de considerar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva persona non grata. A medida foi anunciada ontem, um dia depois de Lula comparar a morte de milhares de palestinos na Faixa de Gaza ao Holocausto que matou milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

“Ainda não falei com o presidente e, portanto, vou dar minha opinião: acho um absurdo essa declaração do governo de Israel”, disse Amorim ao GLOBO, momentos antes de chegar ao Palácio da Alvorada, para uma reunião com o presidente.

Outro fator de irritação em Brasília, revelada por interlocutores da área diplomática, foi a convocação do embaixador do Brasil em Israel, Frederico Meyer, para uma reunião com autoridades israelenses no Museu do…

Read More
Política

Com 108 assinaturas, impeachment de Lula já tem destino certo com Lira

post-image

A despeito das mais de 100 assinaturas reunidas na Câmara, entre deputados de oposição e até de partidos da base aliada do governo, o pedido de impeachment de Lula que deve ser protocolado nesta terça-feira (20/2) já tem destino certo: vai repousar em alguma gaveta do gabinete de Arthur Lira.

O presidente da Câmara não vem dizendo publicamente o que vai fazer em relação ao pedido contra o presidente, mas a expectativa de aliados próximos a ele é que Lira não faça nada e sente em cima do papel.

Ou seja: se aceitar o pedido está fora de cogitação, tampouco Arthur Lira o arquivará, o que desagradaria a oposição na Câmara.

O pedido de impeachment de Lula foi articulado depois da comparação feita pelo…

Read More