Comunidade árabe busca maior aproximação com o Brasil

Agência Brasil

Como parte das comemorações do Dia da Comunidade Árabe no Brasil, ontem (24) a Câmara Legislativa do Distrito Federal recebe, até o dia 6 de maio, a exposição O Mundo Árabe: Civilização e Diversidade. Segundo o argelino Nacer Alem, embaixador da Liga dos Países Árabes no Brasil, a mostra ilustra as diferenças religiosas, culturais e políticas entre os países da região e tem como objetivo estreitar laços com a população brasileira.

“A civilização árabe tem uma grande diversidade e muitas diferenças religiosas. Tem cristãos, muçulmanos, judeus. A maioria é de muçulmanos, mas tem os xiitas e os sunitas, por exemplo”, explica Nacer. Em certos países os casamentos são mistos e não tem problema, mas em outros [países] tem uma festa dos homens e outra das mulheres. E ambos países são muçulmanos”, comenta o embaixador.

O Brasil é um país que recebeu intensa imigração árabe. De acordo com Nacer, a presença dos brasileiros de origem árabe é estimada em 11 milhões de pessoas. “Ás vezes são descendentes distantes, mas os brasileiros guardaram laços [com os países de origem], mesmo não falando árabe. Certamente o fato de o Brasil ser miscigenado quando da chegada dos árabes, facilitou as relações entre o Brasil e os países árabes. O Brasil é muito acolhedor e essa diferença da cor da pele e da religião não é tão visível”, afirmou.

O embaixador falou à Agência Brasil também sobre temas como terrorismo, preconceito, economia, direito internacional, entre outros. Em relação ao Estado Islâmico, Nacer afirmou achar absurdo o uso do termo “Estado” por parte do grupo terrorista, uma vez que não tem estatuto de Estado. Durante toda a conversa, o embaixador usou o termo “Daesh” para se referir ao grupo.

“Não há nada na religião muçulmana que autorize usar, em nome da religião, o termo Estado Islâmico para matar. O suicídio é um dos grandes pecados na religião muçulmana. Deus não aceita isso, é imperdoável. É pecado. Nada justifica alguém usar um cinto explosivo para matar pessoas, ainda menos na religião muçulmana. Olhando de perto o percurso, o currículo dessas pessoas, a maioria é de criminosos, pessoas que tiveram um passado criminoso, no tráfico de drogas, de armas, estupro, roubos”, afirmou Nacer.

Segundo o embaixador, a exposição foi feita porque, quando se fala do mundo árabe, geralmente destaca-se a situação da Síria, Estado Islâmico, Iraque, terrorismo. “Então, quando as pessoas assistem a televisão acham que só há coisas negativas. O mundo árabe é um mundo de paz e tolerância. Ninguém pode aceitar o terrorismo, massacres explosivos, a morte inocentes em nome da religião”.

“O problema é que o terrorismo é um fenômeno antigo. Aconteceu de uma maneira muito forte na Argélia, nos anos 1990. Foram mais de 100 mil mortos em um conflito que durou uma década. Na época, o termo não era utilizado pelo mundo ocidental, falavam em guerra civil, mas era terrorismo. Eu saía de manhã de casa e não sabia se ia voltar, um ônibus ou carro podia explodir. É verdade que o país não tinha um regime democrático, mas nada justifica matar inocentes”.

A guerra civil argelina durou de 1991 a 2002, quando grupos radicais islâmicos tentaram tomar o poder, mas acabaram sendo derrotados pelo governo da Argélia.

Em relação ao papel da Liga dos Estados Árabes, Nacer explicou que a instituição, criada em 1945, servia, inicialmente, para ajudar os países árabes a conquistar independência. Com o passar dos anos, outros objetivos, como a defesa comum, a dimensão política e econômica; a saúde, a justiça e o trabalho foram sendo desenvolvidos.

“Na área do transporte, por exemplo, as regras e as leis são praticamente as mesmas para todos os países da Liga. Há um projeto de conectar todos os países da Liga Árabe por vias férreas, trens. O trecho entre Marrocos, Argélia e Tunísia já existe. O trecho do Sudão com o Egito já existe, mas faltam alguns trechos, na Líbia, na Palestina, por causa de problemas políticos com Israel. Mas podemos dizer que essa rede de vias férreas está 80% feita”, disse.

Ele informou que existe também um projeto de ligar todos os países por rede elétrica comum, porque as capacidades são diferentes de um país a outro. A Argélia, em determinado momento do ano, tem um excedente importante. O Egito, no verão, tem uma demanda enorme, que não consegue suprir, por causa do nível do rio Nilo e do turismo. Então, a ideia é repartir essa energia elétrica entre os países da Liga”, explica.

Nacer afirmou que, entre eles, há um acordo de livre comércio. Alguns países protegem certos produtos para não prejudicar a produção nacional mas, de maneira, geral, não há barreiras tarifárias entre os países.

A Liga dos Estados Árabes é composta por 22 membros: Arábia Saudita, Argélia, Bareine, Catar, Comores, Djibuti, Egito, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Iraque, Jordânia, Kuaite, Líbano, Líbia, Marrocos, Mauritânia, Palestina, Síria (suspenso), Omã, Somália, Sudão e Tunísia.

O embaixador afirmou que, apesar de a Liga ter um papel importante na negociação entre os países, não há conselho sobre segurança. Desta maneira, quando existem conflitos que tomam dimensões internacionais é a Organização das Nações Unidas que toma a frente.

“O mundo árabe atravessa um momento bem difícil. No exterior pode parecer que a Liga Árabe não assume seu papel [nos conflitos], mas estamos sempre ao lado, trabalhando em colaboração com o Conselho de Segurança da ONU e ajudando na resolução dos problemas”.

Para o representante da Liga, manter relações com o Brasil é muito importante para os países árabes, principalmente pelo peso que o país exerce política e economicamente na América do Sul.

“Nas negociações internacionais é preciso ter ligações com outros blocos regionais, outros países. O Brasil sempre teve como foco o respeito ao Direito Internacional. E os países da Liga Árabe concordam com esse aspecto. Nas discussões regulares do Brasil, sobre a situação nos países árabes, como a Síria, o Brasil tem uma posição louvável. A respeito da questão síria, o Brasil insiste na integridade territorial do país e defende que não pode haver influências externas na escolha do governo. É importante que tenham soberania, escolham seu governo e presidente. Isso é uma posição forte e muito apreciada no mundo árabe”.

De acordo com Nacer, as relações econômicas entre o Brasil e os países da liga são muito fortes e aumentam a cada ano. Quase todos os países árabes têm relações comerciais aqui. Os produtos que o Brasil mais exporta são: carne, frango, açúcar, café e madeira. As importações são predominantemente de produtos petrolíferos, adubos, peças de automóveis, concreto e sal.

Segundo a Câmara de Comércio Árabe Brasileira, de 2002 a 2013, o comércio com os países da Liga Árabe passou de US$ 4,9 bilhões para US$ 25,4 bilhões (saldo de US$ 2,6 bilhões para o Brasil em 2013).

A exposição foi organizada pelo Conselho de Embaixadores Árabes no Brasil e pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira. A entrada é gratuita e o acervo contém fotos, quadros, objetos de arte, trajes típicos, banners, quadros, vasos e objetos de porcelana de 16 países.

Leave a Comment

Your email address will not be published.

Política

Júlio Lossio Filho divulga nas redes sociais que o pai foi diagnosticado com tumor

post-image

Na noite desta quarta-feira (28) o advogado Julio Lossio Filho  anunciou nas redes sociais, que o seu pai, ex-prefeito de Petrolina, Julio Lossio, foi diagnosticado com um tumor, no retroperitônio, área próxima aos rins.

Os filhos estão com Julio Lossio que se encontra internado em São Paulo. Julio Lossio Filho informou que o pai está bem.

Da Redação da Rede GN

Read More
Política Relevantes

Tarcísio é o favorito dos apoiadores de Bolsonaro para disputar a Presidência

post-image

A maioria dos manifestantes que foram neste domingo à Avenida Paulista expressar apoio a Jair Bolsonaro defende que, caso o ex-presidente não esteja apto a disputar as eleições de 2026, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), deve ser o nome do bolsonarismo na disputa presidencial. 

Segundo pesquisa do Monitor do Debate Político no Meio Digital, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, 61% dos bolsonaristas que estiveram na Paulista apoiam que o ex-ministro tente trocar o Palácio dos Bandeirantes pelo Planalto. Tarcísio acompanhou Bolsonaro no trio elétrico onde o ex-presidente discursou. Bolsonaro está inelegível por força de duas decisões do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ambas por abuso de poder político. 

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro foi citada por 19% dos apoiadores do ex-presidente como candidata ideal à Presidência em 2026. Michelle chorou ao discursar neste domingo e reclamou…

Read More
Política Relevantes

Sem citar STF, Jair Bolsonaro fala em pacificação durante ato em São Paulo

post-image

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que busca “pacificação” e passar uma “borracha no passado” durante o ato na Avenida Paulista, região central de São Paulo, neste domingo (25).

“O que eu busco é a pacificação, é passar uma borracha no passado. É buscar uma maneira de continuarmos em paz. Não continuarmos sobressaltados”, disse.

Sem citar o Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Alexandre de Moraes ou a Polícia Federal, o ex-presidente também lamentou o que classificou como “abusos por parte de alguns”.

Bolsonaro é investigado em um inquérito que apura suposto plano golpista para mantê-lo à frente do Palácio do Planalto após a derrota nas eleições de 2022 e em outros casos, como possível desvio de joias recebidas por seu governo.

“Saí do Brasil e essa perseguição não terminou. É…

Read More
Política Relevantes

Em missão na Espanha, Jerônimo busca novos investimentos em tecnologia, telecomunicações e energia renovável

post-image

Na noite deste sábado (24), o governador Jerônimo Rodrigues embarca para a Espanha, em mais uma missão internacional. No país europeu, o governador terá uma sequência de agendas, com visitas e reuniões, para conhecer projetos de diferentes áreas e tratar com lideranças empresariais sobre a vinda de novos investimentos e desenvolvimento de tecnologias em solo baiano.

Em Barcelona, onde inicia a missão, Jerônimo visita o Hospital Clínico da cidade. O hospital universitário é uma instituição de referência internacional, especializado no desenvolvimento de linhas terapêuticas e tratamentos inovadores de combate ao câncer. Além do governador, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico (SDE), Ângelo Almeida, e o superintendente de Atração e Desenvolvimento de Negócios da SDE, Paulo Guimarães, participam desta e de outras agendas.

A delegação baiana também marcará presença no Mobile World Congress (MWC), um dos eventos mais…

Read More
Política

Pré-candidato a prefeito de Juazeiro, Tom Zé manteve encontros importantes esta semana, em Brasília 

post-image

O advogado e pré-candidato a prefeito de Juazeiro, Tom Zé (PT), visitou Brasília nos últimos dias, oportunidade em que manteve contatos com ministros, senadores, deputados e outras lideranças na capital federal.

“Esta semana fiquei em Brasília e tive boas conversas sobre a região, especialmente sobre Juazeiro. Mantive contatos promissores e uma agenda muito interessante buscando investimentos para a região e pavimentando relações que serão muito importantes se tivermos a oportunidade de chegar à prefeitura do município”, disse Tom Zé, que tem seu nome ventilado com pré-candidato a prefeito pelo PT.

Tom Zé visitou o Ministro Rui Costa, na Casa Civil; Waldez Góes, no Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional, manteve encontros com os senadores Otto Alencar e Ângelo Coronel, dentre outros parlamentares e órgãos da administração federal.

Redação redeGN

Política

Em 65 cidades de PE, mais da metade da população vive sem esgoto adequado, diz Censo do IBGE

post-image

Em Pernambuco, 65 cidades têm mais da metade da população vivendo em lares sem descarte adequado de esgoto. É o que mostram novos dados do Censo 2022 divulgados nesta sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em todo o estado, mais de 3,1 milhões de pessoas vivem sem saneamento básico, o que equivale a cerca de um terço da população.

Os dados mostram que, em 2022, o Brasil tinha 49 milhões de pessoas vivendo em lares sem descarte adequado de esgoto. Esse número equivale a 24% da população. Esse percentual sobe para 68,6%, entre pretos e pardos — que compõem pouco mais da metade da população brasileira.

É considerado descarte adequado o esgoto que vai para as redes públicas de coleta (geral ou pluvial) ou para fossas sépticas ou com filtro, ainda que depois…

Read More
Política

Amorim diz que é um ‘absurdo’ Israel considerar Lula persona non grata

post-image

O assessor para assuntos internacionais do Palácio do Planalto, Celso Amorim, afirmou considerar “um absurdo” a decisão do governo de Israel de considerar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva persona non grata. A medida foi anunciada ontem, um dia depois de Lula comparar a morte de milhares de palestinos na Faixa de Gaza ao Holocausto que matou milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

“Ainda não falei com o presidente e, portanto, vou dar minha opinião: acho um absurdo essa declaração do governo de Israel”, disse Amorim ao GLOBO, momentos antes de chegar ao Palácio da Alvorada, para uma reunião com o presidente.

Outro fator de irritação em Brasília, revelada por interlocutores da área diplomática, foi a convocação do embaixador do Brasil em Israel, Frederico Meyer, para uma reunião com autoridades israelenses no Museu do…

Read More
Política

Com 108 assinaturas, impeachment de Lula já tem destino certo com Lira

post-image

A despeito das mais de 100 assinaturas reunidas na Câmara, entre deputados de oposição e até de partidos da base aliada do governo, o pedido de impeachment de Lula que deve ser protocolado nesta terça-feira (20/2) já tem destino certo: vai repousar em alguma gaveta do gabinete de Arthur Lira.

O presidente da Câmara não vem dizendo publicamente o que vai fazer em relação ao pedido contra o presidente, mas a expectativa de aliados próximos a ele é que Lira não faça nada e sente em cima do papel.

Ou seja: se aceitar o pedido está fora de cogitação, tampouco Arthur Lira o arquivará, o que desagradaria a oposição na Câmara.

O pedido de impeachment de Lula foi articulado depois da comparação feita pelo…

Read More