Em carta, Elize diz estar ‘arrependida’ por matar e esquartejar o marido

Ela escreve que sua vida foi um conto de fadas ‘às avessas’. Carta foi escrita quando ela ainda estava presa na cadeia de Itapevi.

A reportagem do Fantástico teve acesso a trechos exclusivos de uma carta escrita por Elize Matsunaga, assassina confessa do empresário Marcos Matsunaga, dentro da cadeia. Elize revela que não vivia bem com o marido e que se arrepende de tê-lo matado e esquartejado.

Elize é ré no processo no qual é acusada do assassinato de Marcos. Segundo a perícia da Polícia Técnico Científica, a bacharel atirou no marido e o esquartejou ainda quando ele estava vivo, na noite de 19 de maio, um sábado. Ela responde presa pelos crimes de homicídio triplamente qualificado por motivo torpe (vingança), recurso que impossibilitou a defesa da vítima (o empresário foi baleado quando voltava ao apartamento com uma pizza), meio cruel (usou uma faca para cortar o pescoço do marido quando ele ainda estava vivo) e ocultação de cadáver (colocou as partes do corpo em sacos plásticos e os jogou em Cotia).

Uma mulher que era humilhada e tinha medo de morrer: é assim que Elize Mastunaga descreve como era sua vida de casada exatamente um mês depois de matar e esquartejar o corpo do marido, o diretor-executivo da indústria de alimentos Yoki, Marcos Matsunaga.

É uma carta, escrita à mão, quando Elize ainda estava na cadeia de Itapevi, na Grande São Paulo. Ela compara sua vida às histórias de princesa, mas diz que seu conto de fadas foi às avessas.

“Não me lembro de ter lido em ‘Cinderela’ que o príncipe a humilhava. Não me lembro de ter lido que o príncipe tirou a princesa do lixo e que ela deveria, por conta disso, ser submissa às suas vontades pervertidas e humilhantes porque se tornara sua esposa. Não me lembro de ter encontrado em algum capítulo que mulher é descartável”, escreveu.

Acusação

Na carta, Elize diz que teve medo de morrer e faz uma acusação grave: conta que Marcos havia tentado matar a ex-mulher. “Não me lembro de ter lido em contos que a princesa era ameaçada de morte pelo príncipe e que sentia um medo imenso de acontecer o mesmo que aconteceu com sua ex-esposa, porém dessa vez não iria errar”, escreveu.

Elize tinha feito a revelação a uma pessoa muito próxima ao casal um mês antes do crime. A reportagem do Fantástico também teve acesso ao depoimento desta testemunha. Ela conta que recebeu em abril um e-mail em que Elize diz temer pela própria vida, já que Marcos havia tentado matar a ex-mulher.

A reportagem do Fantástico obteve também a íntegra da confissão de Elize à polícia. Nesse depoimento, ela repetiu a história e deu detalhes: disse que, enquanto eram amantes, Marcos contou que havia colocado veneno em um remédio da primeira mulher, que ela ingeriu o comprimido e passou mal, mas foi socorrida.

Para o advogado da família Matsunaga, Luiz Flávio Borges D’Urso, presidente da Ordem dos Advogados Brasil (OAB) de São Paulo, a acusação não tem fundamento. “Não existe nenhuma base nisso, nada. Acho que isso vem dentro do contexto de uma sucessão de mentiras que ela foi criando para construir diante de uma confissão na qual ela não encontrou outra oportunidade senão aquela de confessar, neste conjunto que ela foi criando, nesta cena, ela introduz mais uma informação para a qual não há nenhuma base”, diz Luiz Flávio Borges d’Urso.

A reportagem do Fantástico procurou a primeira mulher de Marcos, mas ninguém na casa dela atendeu a reportagem.

Receio

No interrogatório, a polícia perguntou se Elize teve medo de ir morar com Marcos. Ela respondeu que amava o marido e que ele dizia que nunca faria nada de mal com ela. Elize declarou também que tinha receio de ser traída, mas que Marcos dizia que não agiria assim.

Para o promotor, Elize matou o marido porque foi traída e queria ficar com o dinheiro dele. “Nossa convicção é uma só: claramente, o medo de perder o casamento e, com essa perda, perder o patrimônio. Se o marido morresse, ela teria o seguro de vida dele. Teria o seguro de vida da filha, ou seja ficaria com uma criança rica, com o seguro de vida dela e da filha”, diz o promotor José Carlos Cosenzo.

“Eu acho, aliás, que essa alegação é um verdadeiro absurdo, porque o seguro de vida de Marcos não era um seguro de vida milionário. Era um seguro de vida de uma pessoa da classe média, um seguro de vida simples”, defende o advogado de Elize, Luciano Santoro.

Para o advogado de Elize, foi um crime passional. “Começou com a questão da traição. Ela chegou a desferir o tiro no momento de uma intensa provocação de Marcos a ela”, diz Santoro.

Confissão

Em sua confissão, Elize deu detalhes do momento do crime e contou por que decidiu esquartejar o marido. Afirmou que era a única forma de se livrar do corpo, já que ele era muito pesado. Usou uma faca que estava na gaveta da cozinha. Chegou a parar no meio porque estava muito difícil. Elize relatou que limpou o sangue espalhado pela casa e que depois lavou os panos de chão.

A reportagem do Fantástico conseguiu trechos inéditos do depoimento de Mauro Matsunaga, irmão do executivo morto. Ele diz que, dois dias depois do crime, Elize procurou os sogros. Segundo Mauro, Elize informou que o marido não tinha dormido em casa e mostrou imagens dele com outra mulher.

Mauro contou que, cinco dias mais tarde, ele e dois funcionários da Yoki foram ao prédio de Marcos e Elize, porque queriam ver as imagens das câmeras de segurança. Pediram uma pizza. Elize os convidou para comer no próprio apartamento. Na cozinha, um dos funcionários viu um saco de lixo semelhante aos encontrados com as partes do corpo de Marcos. Essa foi uma das informações que fizeram a polícia suspeitar de Elize.

Na última quinta-feira (21), o pai de Marcos foi pela primeira vez ao apartamento onde o filho foi assassinado. Reencontrou a neta de um ano, que continua sob os cuidados de uma tia de Elize. A família de Marcos se comprometeu a manter o mesmo padrão de vida que a menina tinha quando vivia com os pais.

Com a prisão preventiva decretada, Elize foi transferida na quarta-feira (20) para a Penitenciária de Tremembé, no interior do estado. É lá que estão Suzane Richthofen, condenada por matar os pais, e Anna Carolina Jatobá, que cumpre pena pela morte da enteada, Isabella Nardoni.

Nos primeiros 15 dias, Elize vai ficar sozinha em uma cela de sete metros quadrados. Depois, vai dividir o espaço com seis mulheres. Ela vai responder por homicídio triplamente qualificado e pode pegar de 6 a 30 anos de prisão.

Na carta que escreveu na cadeia, Elize diz que se arrepende. “Eu não tenho o direito de tirar a vida de ninguém, e nada justifica isso. Mas também sei que tenho o direito de defender a minha vida e principalmente a minha filha. Me arrependo por ter sido tão injusta e ter cometido algo que não posso voltar. Me arrependo por aquele ato impensado que só trouxe o caos. Já estou pagando pelo que fiz e com a moeda que eu mais temia: ficar longe da minha filha.”

Leave a Comment

Your email address will not be published.

Política Relevantes

Ministro da Economia dará detalhes corte orçamento na segunda-feira (22)

post-image

Em pronunciamento à imprensa após reunião da área econômica com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou uma contenção de R$ 15 bilhões na execução orçamentária de 2024. A medida é para que o Governo Federal cumpra as exigências previstas no arcabouço fiscal e preserve a meta de déficit zero das despesas públicas prevista para o fim do ano.

De acordo com o ministro, serão R$ 11,2 bilhões em bloqueios e R$ 3,8 bilhões em contingenciamentos de despesas. Haddad afirmou que a medida seria originalmente anunciada no dia 22, mas que o Governo Federal preferiu antecipar para evitar especulações.

“Como na última vez, trouxemos os números da área econômica para fazermos um entendimento sobre a determinação que o presidente Lula nos deu, de cumprimento do arcabouço…

Read More
Política

Não vamos cortar o salário mínimo”, reafirma Lula

post-image

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a negar que vá tomar qualquer medida de corte de orçamento público que envolva a redução do salário mínimo para as parcelas mais pobres da população, como aquelas que recebem da Previdência Social. Em entrevista à TV Record, ele destacou que o crescimento da riqueza no país deve ser distribuído de forma equitativa para todos.

“Quando alguém fala que eu deveria desvincular o salário mínimo da Previdência Social. O mínimo, já diz, é o mínimo. Não tem nada mais baixo que o mínimo. Então, eu não posso cortar o mínimo, que já é o mais baixo de tudo. Quando você tem que dar aumento do salário mínimo, você faz a reposição inflacionária. Se a inflação foi 3%, você repõe 3%. O crescimento do PIB nos últimos dois anos, a média, a gente…

Read More
Política Relevantes

Informações sobre as Eleições Municipais de 2024 estão reunidas em uma página própria no Portal do Tribunal Superior Eleitoral

post-image

As principais informações sobre as Eleições Municipais de 2024 estão reunidas em uma página própria no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na internet.
A seção Eleições 2024 busca facilitar o acesso pelo público a temas fundamentais sobre o pleito deste ano. O primeiro turno das eleições ocorrerá em 6 de outubro e o segundo em 27 de outubro, onde for necessário.

O espaço contém informações sobre o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), o calendário eleitoral, o canal do mesário, as normas e documentações sobre o pleito, as missões de observação eleitoral, assim como matérias que resumem informações sobre a urna eletrônica e o processo eleitoral. As usuárias e os usuários também encontrarão dados adicionais sobre legislação, segurança, candidaturas e partidos políticos, totalização e resultado das eleições.

Serviços-Por meio da página Eleições 2024, as eleitoras e…

Read More
Política Relevantes

Registro de candidaturas: TRE-BA promove palestra para partidos políticos amanhã (09)

post-image

Partidos políticos atuantes na Bahia poderão participar de palestra sobre registro de candidaturas promovida pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) na próxima terça-feira, 9 de julho, às 17 horas. O evento é organizado pela Seção de Gerenciamento de Registro de Dados Partidários e de Candidatos (SERPAC) e terá transmissão ao vivo pela TV TRE-BA no Youtube. 

Segundo Jonas Dias, chefe da SERPAC, o encontro online trará informações gerais e novidades sobre registro de candidaturas trazidas pela Resolução TSE nº 23.729/2024, também esclarecerá dúvidas sobre federações, coligações e documentos necessários no processo. “O objetivo também é estabelecer uma troca para esclarecer dúvidas que possam surgir no decorrer dos registros. A expectativa é da participação de partidos, advogados, delegados, contadores e da sociedade em geral”, afirmou. 

Nas Eleições Municipais 2024 os partidos políticos, federações e coligações têm até…

Read More
Política Relevantes

Faltam 3 meses para as eleições: conheça 6 oportunidades de fiscalização da urna

post-image

O primeiro turno das Eleições Municipais 2024 acontece no dia 6 de outubro. Ou seja: estamos a três meses do dia em que mais de 156 milhões de eleitoras e eleitores irão às urnas eletrônicas escolher novos prefeitos e vereadores para os próximos quatro anos.

Confira nesta matéria seis oportunidades de auditoria e fiscalização que garantem a segurança do sistema eletrônico de votação brasileiro. 

1. Código-fonte de acesso público  – O código-fonte da urna eletrônica é um conjunto de instruções às quais os sistemas eleitorais, desenvolvidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), obedecem. É ele que determina como um programa vai funcionar. O seu computador, por exemplo, tem código-fonte próprio. 

A disponibilização do código-fonte da urna para auditoria é um procedimento obrigatório e realizado pelo TSE. A auditoria é realizada desde 2002 e está prevista…

Read More
Política Relevantes

Ministra defende criação de marcos da cultura para evitar retrocessos

post-image

A ministra da Cultura, Margareth Menezes, defende a institucionalização da cultura no país, para evitar retrocessos como em governos anteriores. Ao afirmar que “cultura não é supérfluo”, a ministra classificou as ações do atual governo de “reconstrução”.

“Reconstrução para materializar o fazer cultural como política de Estado. É necessário que estabilizar esse universo da arte, com direitos e marcos, para conseguir se fortalecer”, disse a ministra. “O momento é agora.”

Em declarações feitas durante lançamento de programas de fomento da Fundação Nacional de Artes (Funarte), no Teatro Dulcina, no Rio de Janeiro, Margareth Menezes citou medidas recentes, como a criação do Sistema Nacional de Cultura e do Marco Regulatório do Fomento à Cultura.

Um dia depois de o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, ter anunciado que o governo prepara um corte de R$ 25,9…

Read More
Política Relevantes

Colaboradores de cartórios eleitorais iniciam capacitação visando os trabalhos nas Eleições 2024

post-image

As servidoras e os servidores dos cartórios eleitorais do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) iniciaram esta semana, uma capacitação visando os trabalhos nas Eleições 2024. O treinamento, promovido pela Seção de Desenvolvimento Organizacional e Capacitação (Sedoc) em parceria com a Secretaria Judiciária (SJ), Secretaria de Auditoria (SAU) e com a Comissão de Mesários, segue até a próxima sexta-feira (5), no Centro Administrativo do TRE-PE, localizado no bairro do Bongi, no Recife.

No treinamento, os servidores vão se atualizar sobre os procedimentos do registro de candidatura, treinamento de mesários e prestação de contas. Nesses dois primeiros dias de curso (1 e 2 de julho), o assunto abordado foi o registro de candidatura. “Além da abordagem aos aspectos legais do registro de candidatura, haverá também treinamento para o uso dos sistemas que são utilizados para os pedidos de registro. As convenções…

Read More
Política Relevantes

“Não teremos sossego nas eleições sem a regulação”, diz ministro

post-image

A ameaça de golpe na Bolívia transformou o 12º Fórum de Lisboa no cenário para fortalecer a posição do Supremo Tribunal Federal (STF) de guardião da democracia no Brasil.

Os três ministros da Corte que discursaram no último dia do evento, na sexta-feira, enfatizaram a defesa do Estado Democrático de Direito.

Como dois violinos na mesma toada, Alexandre de Moraes, relator do inquérito dos atos golpistas do 8 de Janeiro de 2023, e Flávio Dino, ministro da Justiça à época, foram incisivos em suas falas.

Moraes classificou as articulações para o golpe de “novo populismo digital extremista”. O ministro ressaltou que sempre houve grupos tentando desvirtuar a democracia, mas que o desafio atual é entender como eles acharam terreno fértil para se difundir.

“Para que possamos garantir que a vontade do…

Read More